Muitas pessoas associam a palavra blockchain imediatamente aos bitcoins. Não está errado, afinal, foi com as criptomoedas que o conceito se tornou conhecido, ou ao menos familiar.

Entretanto, o bitcoin representa apenas um caso prático do uso dessa tecnologia. Além dele o mercado já adota o conceito para diferentes aplicações.

Mas então, o que é blockchain? Saiba mais aqui.

Blockchain: o que é e como funciona

Blockchain é, basicamente, um livro de registro de transações, composto por uma rede de computadores ponto a ponto que comporta um banco de dados distribuído.

Para que uma transação possa ser registrada nesse livro, ela precisa antes ser validada a partir de regras definidas em um “contrato inteligente”.

Assim, a validação é feita por determinados integrantes da rede, que formam o chamado grupo de consenso. Só então a transação passa a fazer parte de um bloco de dados armazenado no livro.

Uma vez que esse livro é uma base distribuída, os blocos de dados não formam uma sequência física contínua de informação.

Um algoritmo específico atribui a cada bloco de dados um código chave (hash) através do qual é possível restabelecer a sequência lógica que interliga os blocos. Esse mecanismo é uma garantia de segurança para a informação armazenada.

Além da segurança, o caráter distribuído da rede resulta em um grande poder de processamento e de armazenamento de dados.

Alguns termos e conceitos em blockchain

Como toda tendência tecnológica, blockchain vem acompanhada por uma terminologia própria. Convém familiarizar-se com alguns termos, sobretudo para facilitar a compreensão dos conceitos. Por exemplo:

  • Asset: é o ativo, o objeto da transação a ser registrada no livro.
  • Block: um bloco é um conjunto de transações, identificado pelo seu código chave (hash).
  • Consensus: o consenso é o processo que assegura a validade dos dados das transações realizadas. Funciona como um referendo, em que a maioria dos integrantes do grupo encarregado da validação precisa dar sua aprovação para a transação.
  • Hash: é o código chave que identifica de maneira única cada bloco de transações. Cumpre um papel essencial na segurança e na própria constituição de toda a informação armazenada.
  • Ledger: é o registro permanente dos dados das transações.
  • Peer: nó ou ponto, refere-se a cada participante autorizado da rede.
  • Smart Contract: o contrato inteligente é o conjunto de regras de negócio através do qual se dá a validação de uma transação.
    • Essas regras estão devidamente codificadas nos softwares que tratam os dados a serem analisados. Cada peer integrante do grupo de consenso tem um smart contract instalado para uso.
    • A ideia de contrato inteligente vai além de apenas validar os dados. Ele desencadeia ações de forma automática ao final, de acordo com o resultado obtido.
  • State database: é uma referência ao banco de dados distribuído. De forma mais exata, é a visão lógica da sequência de blocos quer forma o banco de dados.

Os tipos de rede de blockchain

Uma rede de blockchain pode ser constituída de quatro formas diferentes, a saber:

  • Pública:
    • Nesse formato, todas as transações são públicas e os usuários são anônimos.
    • Qualquer usuário pode ler e enviar transações.
    • Também não há necessidade de permissão para participar de processos de consenso.
    • Bitcoin é um exemplo de blockchain público.
  • Privada:
    • Funciona como uma área restrita.
    • O proprietário da rede define quem deve ter autorização para ler ou enviar transações ou ainda participar de processos de consenso.
  • Semi-privada:
    • Como no blockchain privado, existe um proprietário que centraliza os acessos.
    • Entretanto, existem critérios definidos para os acessos.
    • Assim, qualquer usuário que atenda aos critérios pode ter seu acesso concedido.
  • Consórcio:
    • O acesso para ler ou enviar transações pode ser público ou restrito.
    • O processo de consenso é controlado por um grupo.
    • É o formato mais indicado para as empresas em geral.

Benefícios do blockchain

Entre os benefícios decorrentes do uso de redes de blockchain para processamento e armazenamento de dados de transações, podemos destacar:

  • Processamentos rápidos e não restritos a horários comerciais;
  • Acionamento automático de ações, eliminando a necessidade de agentes intermediários;
  • Segurança nas transações, com o uso de criptografia e do processamento distribuído, dificultando a ação de hackers;
  • Transparência proporcionada pela impossibilidade de alteração de registros e pelo acesso a diversos usuários.
  • Maior eficiência do processo, que se traduz em lucratividade.

Blockchain: uma tendência

Há um volume crescente de transações digitais na economia e é real a preocupação em prover estruturas com capacidade para processá-las.

É nesse contexto que as redes de blockchain surgem como alternativas efetivas, devendo constituir-se como tendência nos próximos anos.

A estimativa do Fórum Econômico Mundial é de que em 2027, 10% do PIB total do planeta esteja armazenado em redes de  blockchain.

Instituições que até pouco tempo viam essa tecnologia com desconfiança e até como uma ameaça a seu espaço no mundo dos negócios começam a encontrar formas de utilizá-la a seu favor.

Soluções SAP em Blockchain

A SAP, líder mundial em soluções de gestão empresarial, já vem incorporando o uso das redes de blockchain aos seus produtos.

O serviço de blockchain do SAP Cloud Platform é uma implementação em nuvem do conceito de blockchain como serviço (BaaS), permitindo às empresas utilizar seus recursos, seja para criar novos aplicativos, seja para estender os já existentes.

Já o SAP HANA Blockchain Service permite conectar as redes externas de blockchain que a empresa já possui à plataforma SAP HANA, onde ferramentas analíticas permitirão que se trabalhe com os dados de blockchain.

Em ritmo crescente, os produtos SAP vêm sendo atualizados com a inclusão de ferramentas para lidar com blockchain.

Um exemplo é o monitoramento e o rastreamento do transporte de mercadorias, que permite disparar ações automáticas a partir de marcos específicos do processo.

Isso tem especial importância para a gestão da cadeia de suprimentos e para a gestão da logística de transportes.

Conclusão

A evolução da tecnologia vem sendo marcada, de tempos em tempos, por grandes ondas de mudanças que conduzem toda a atividade econômica e empresarial para uma determinada direção.

De fato, blockchain pode vir a se confirmar como uma das grandes mudanças tecnológicas ocorridas nos últimos anos. Acompanhar tendências é fundamental, para empresas e para profissionais.

O que é Blockchain?
5 (100%) 2 votos