Você sabe o que é a Indústria 4.0 e qual o seu impacto para a vida das pessoas?

Na escola aprendemos que a Revolução Industrial do século 18 na Inglaterra inaugurou um novo período na história da Humanidade.

Naquela época, a invenção das máquinas a vapor mudou completamente o modo de produzir e de transportar mercadorias.

Mais que isso, aquela inovação tecnológica trouxe impactos enormes para o próprio modo como o mundo se organizava em termos econômicos, sociais, políticos e culturais.

Conforme veremos neste artigo, a Indústria 4.0 representa uma nova onda de inovações tecnológicas incorporadas aos processos industriais.

Quais serão os impactos desta vez?

O que é indústria 4.0?

O termo “indústria 4.0” tem sido utilizado para designar um novo patamar tecnológico  a ser alcançado nos processos industriais.

Entre as tecnologias associadas a esse conceito, destacam-se:

  • Os Sistemas Cyber-físicos;
  • A Internet das Coisas;
  • A Internet de Serviços;
  • O Big Data;
  • A Inteligência Artificial;
  • A Computação em Nuvem;
  • Outras.

O conceito surgiu de um projeto do governo alemão, elaborado entre os anos de 2011 e 2013.

Esse projeto previa a formação de redes inteligentes conectando máquinas, sistemas e outros dispositivos ao longo de toda a cadeia de produção e de logística.

Assim surgiu o conceito de fábrica inteligente, caracterizada por processos autônomos e extremamente eficientes, além de customizáveis.

Em uma fábrica inteligente, o agendamento de manutenções, a previsão de falhas e a adequação do ritmo de produção são feitos de forma automática, sem a necessidade da intervenção humana.

A implantação da Indústria 4.0 deve ocorrer gradualmente, conforme as empresas alcancem as condições para aderir às novas tecnologias.

Por que “indústria 4.0”?

Em primeiro lugar, o número 4 é uma referência à Quarta Revolução Industrial.

Assim, ela representa uma quarta onda de inovações tecnológicas incorporadas aos processos de fabricação das mercadorias.

Com efeito, numa contextualização histórica, tivemos:

  • A Primeira Revolução Industrial: na Inglaterra do século 18, máquinas a vapor começam a substituir, com vantagens, o uso da força animal e humana. As ferrovias e os teares da indústria têxtil são exemplos típicos da tecnologia desse período.
  • A Segunda Revolução Industrial: no final do século 19 e início do século 20, a energia elétrica chega aos equipamentos fabris. Também é desse período o surgimento da linha de produção, idealizada por Henry Ford, que tornou possível a produção em larga escala.
  • A Terceira Revolução Industrial: na segunda metade do século 20, é a vez da tecnologia da informação ser incorporada aos processos industriais, com os computadores pessoais e a internet.

Por outro lado, essas três ondas trouxeram efeitos como:

  • A intensa urbanização das sociedades;
  • Uma abundância jamais vista antes na capacidade de produção de mercadorias;
  • A eliminação das barreiras representadas pelas distâncias geográficas, entre outros.

E quais seriam os impactos aguardados dessa quarta onda que está em curso? É o que veremos mais adiante.

Desvendando a Indústria 4.0

São muitas as inovações tecnológicas surgidas recentemente, trazendo inúmeras possibilidades de transformação dos atuais processos industriais.

Entretanto, considera-se que existam 6 princípios fundamentais característicos da indústria 4.0, que englobam todas essas possibilidades. São eles:

  • A interoperabilidade: máquinas, dispositivos e humanos conectam-se à internet e comunicam-se uns com os outros.
  • A operação em tempo real: dados são coletados e tratados imediatamente, tornando possível a tomada de decisões em tempo real.
  • A virtualização: além de sua existência física, a fábrica inteligente também existe em um plano virtual, para fins de monitoramento e rastreamento de seus processos.
  • A descentralização: os sistemas cyber-físicos distribuídos ao longo da cadeia de produção e logística terão autonomia para a tomada de decisões em seus respectivos círculos de atuação.
  • A orientação a serviços: caracterizada pelo emprego de uma arquitetura de software orientada a serviços, juntamente com o conceito de “Internet of Services”.
  • A modularidade: a produção funcionará de forma ajustada à demanda, com o acoplamento ou o desacoplamento de módulos na produção.

Os pilares da Indústria 4.0

Conforme vimos, cada uma das três revoluções industriais anteriores teve como pilares a introdução de determinadas inovações tecnológicas.

Então quais seriam os pilares que sustentam a atual onda? Listamos a seguir as principais.

Internet das Coisas (IoT – Internet of Things)

Com o uso de uma tecnologia embarcada, diferentes tipos de máquinas, equipamentos e até mesmo simples objetos passaram a se conectar à internet, recebendo e transmitindo dados.

Os chamados Sistemas Cyber-físicos, essenciais para a Indústria 4.0 , aplicam o conceito de Internet das Coisas.

Big Data Analytics

Além de uma grande base de dados à disposição, é necessária uma ferramenta adequada para lidar com ela.

Assim, para melhor capturar, analisar e gerenciar toda a informação disponível, uma tecnologia muito útil é o Big Data Analytics.

Ela é capaz de lidar com dados em grande volume, de diferentes origens, estruturados ou não, com elevada velocidade.

Segurança dos sistemas de informação

Como em qualquer uso crítico que se faça da internet e do tráfego de dados através dela, na Indústria 4.0 a necessidade de segurança é condição básica para o seu funcionamento.

Entretanto, em um ambiente altamente automatizado como o da Indústria 4.0,  com pouca intervenção humana, a segurança deixa de ser tão focada em manuais de conduta para usuários e operadores e passa a se preocupar mais com aspectos técnicos.

Computação em nuvem

A computação em nuvem trouxe para as empresas o fácil acesso a todo e qualquer serviço de TI, praticamente sem limitações quanto à capacidade de processamento e de armazenamento de dados. É um recurso indispensável para a Indústria 4.0.

Inteligência Artificial

Em meio a toda a disponibilidade de dados proporcionada pelo Big Data, o desenvolvimento da Inteligência Artificial pode contribuir para um aproveitamento ainda maior e mais sofisticado de toda essa riqueza de informações, ampliando o alcance das tomadas de decisões autônomas.

É bom que se diga que esse item, particularmente, causa ainda alguma polêmica quanto ao risco que o excesso de autonomia das máquinas pode representar.

Os impactos decorrentes da Indústria 4.0

Muitas devem ser as mudanças que a Indústria 4.0 trará para empresas, trabalhadores, consumidores, enfim, a sociedade como um todo. Indicamos a seguir algumas das mais aguardadas.

O novo mercado consumidor

Ao ajustar a produção à demanda, a indústria será capaz de utilizar sua estrutura produtiva tanto para a produção em larga escala quanto para a criação de produtos customizados, aproximando-se de todas as formas do consumidor.

A nova empresa

Novos cenários deverão surgir na gestão das empresas. Ao investir nos novos processos industriais, os custos de produção cairão significativamente.

Mais que isso, toda a sua estrutura interna, seus processos e seus organogramas terão que ser planejados segundo novos parâmetros.

Processos operacionais perderão importância, na medida em que estarão nas mãos de máquinas que os executarão com extrema eficiência.

Por outro lado, ganharão destaque atividades de caráter estratégico, sendo esse um bom indicador para profissionais em busca de qualificação.

O novo mercado de trabalho

Nem toda automação representa a substituição de um trabalhador humano por uma máquina.

Existem tarefas que praticamente passaram a existir com a chegada das máquinas, pois o ser humano não tinha como realizá-las.

Mas é fato que muitas tarefas hoje executadas por seres humanos passarão para as mãos das máquinas.

Um fenômeno já observável hoje ganhará ainda mais intensidade com a Indústria 4.0: o surgimento de novas especializações e qualificações profissionais, ao mesmo tempo em que outras se tornarão obsoletas.

Acompanhar as tendências será um fator ainda mais crítico para o sucesso e a estabilidade profissional.

As atividades profissionais com menor grau de especialização tendem a desaparecer mais rapidamente, pela maior facilidade em adotar máquinas para a sua realização.

Já atividades de cunho estratégico ou ligadas a desenvolvimento e pesquisa oferecerão excelentes oportunidades a quem se capacitar a exercê-las.

As novas tecnologias

A tecnologia deve manter sua tendência à aceleração das inovações, com uma preocupação crescente em relação à segurança.

Uma tecnologia cada vez mais presente pode trazer consigo uma incidência maior e mais letal de ataques cibernéticos.

A velha espionagem industrial transferirá seu palco definitivamente para o campo tecnológico.

A Indústria 4.0 no Brasil

De uma forma geral, considera-se que a indústria brasileira ainda está vivendo a transição da Indústria 2.0 para a Indústria 3.0, ou seja, ainda está se familiarizando com a informatização.

É claro que, sendo essa uma média, há um pequeno setor de ponta, bastante atualizado com as tendências, e um grande setor de fato defasado.

Muitas causas podem ser apontadas para o estado geral de atraso da indústria no país, mas a verdade é que, por uma questão de sobrevivência, ela precisa se atualizar.

A necessária adesão à Indústria 4.0

Assim, independentemente de iniciativas governamentais, o melhor que uma empresa pode fazer é adotar medidas que estejam ao seu alcance.

Para tal, é importante que a empresa se cerque de líderes e gestores com sensibilidade e visão para a questão.

Um obstáculo que pode surgir em dado momento é a carência de profissionais técnicos qualificados no mercado.

Uma boa solução para a empresa está em, ela mesma, investir na capacitação de seus próprios colaboradores.

Falando em tomar a iniciativa, os próprios profissionais devem adotar a postura de buscar mais qualificação, de olho nas oportunidades que o mercado pode oferecer.

Outro segmento que pode se beneficiar muito com as perspectivas da Indústria 4.0 é o dos empreendedores.

De fato, está aberta a temporada de desenvolvimento de soluções inovadoras a serem oferecidas às empresas.

Indústria 4.0: exemplos

Diferentes soluções vêm sendo introduzidas a partir do uso de novas tecnologias na indústria, sempre apontando para a total adesão aos conceitos da Indústria 4.0.

Veja a seguir alguns exemplos práticos.

Melhoria dos métodos de controle de qualidade

O controle de qualidade é um processo importante em qualquer ramo da indústria.

A indústria farmacêutica, por exemplo, vem investindo na melhoria dos métodos de controle de qualidade e no gerenciamento das atividades na linha de produção.

Estão em desenvolvimento tecnologias para análise em tempo real, que consomem menos recursos e menos mão de obra.

Os processos de controle de qualidade, análise de riscos e investigação de desvios, até aqui essencialmente manuais, estão sendo automatizados.

Manutenção preditiva de equipamentos

Com o emprego de sensores, faz-se um monitoramento contínuo das máquinas em uma linha de montagem, por exemplo.

Os primeiros sinais de problemas nas condições e no desempenho das máquinas são detectados, tornando possível uma rápida manutenção, evitando-se o risco de uma parada repentina.

Rastreamento da distribuição de produtos ao consumidor

A indústria alimentícia vem trabalhando no desenvolvimento de uma solução que trará muito mais transparência a respeito do produto para o consumidor final.

Ao fazer a leitura do código de barras de uma embalagem de leite, por exemplo, o consumidor terá acesso a informações como a identificação da fazenda em que ele foi produzido, o processamento industrial envolvido e todo o percurso feito até a chegada ao supermercado.

Sustentabilidade

A agroindústria vem utilizando recursos de Big Data e de Internet das Coisas para desenvolver métodos mais produtivos e ao mesmo tempo sustentáveis, com o emprego de processos limpos e renováveis.

Distribuição e logística

Além das possibilidades de rastreamento de produtos, já relativamente disseminada, há soluções mais inovadoras sendo testadas, como a entrega através de drones.

A Indústria 4.0 na construção civil

Tido como um setor complexo para a inovação digital, a construção civil tem apresentado diversas e inovadoras soluções, como:

  • Pesquisas e geolocalização de alta definição, que aproximam os projetos das reais condições do solo;
  • Modelagem de informações de construção em 5-D, que utiliza a tecnologia de realidade aumentada para agregar ao projeto dados geográficos, acústicos e térmicos;
  • Colaboração digital e mobilidade, para elevar a produtividade, ainda hoje muito dependente de documentos em papel;
  • Análise avançada através da Internet das Coisas, proporcionando uma melhor gestão de materiais e suprimentos, maior eficiência energética, mais segurança no trabalho e a construção de estruturas mais inteligentes;
  • Utilização de novos materiais, criados a partir de impressoras 3-D.

A SAP e a Indústria 4.0

Com uma grande base de clientes do setor industrial, a SAP – empresa líder no segmento de software de gestão empresarial – não poderia ficar alheia ao desenvolvimento da Indústria 4.0.

A SAP mantém parcerias com diferentes provedores de soluções para a Internet das Coisas, formando um sólido ecossistema de aplicações.

Assim, no início de 2019, a SAP anunciou o lançamento da plataforma SAP Leonardo IoT (Internet of Things), com o objetivo de estimular a transformação digital da indústria.

Ao mesmo tempo, a empresa tornou disponível a interoperabilidade entre as nuvens do SAP Leonardo IoT e as do Microsoft Azure IoT Hub, dando aos clientes uma opção adicional de conectividade e de gerenciamento de dispositivos.

SAP Leonardo IoT

O SAP Leonardo IoT contém aplicações voltadas para a produtividade, a redefinição da experiência do cliente e o aumento dos fluxos de receita.

A partir da plataforma é possível incorporar à linha de produção da fábrica alguns recursos de IoT, que permitirão:

  • Aprimorar aplicações;
  • Suportar modelos de negócios com base nas informações dos processos e dispositivos conectados.

Assim, o SAP Leonardo IoT permite aos próprios clientes melhorar seus processos com o uso da inteligência orientada por dados.

Além disso, considerando as demandas da empresa, o SAP Leonardo IoT pode se adequar a três diferentes formas de inovação:

  • Combinar dados de IoT e dos processos de negócio, possibilitando a integração de aplicações e ampliando a capacidade de inovar com o uso de soluções como:
  • Usar extensões das aplicações IoT SAP e assim obter mais valor de negócio.
  • Desenvolver novas soluções inteligentes.

Conclusão

Conforme vimos, as revoluções industriais não surgiram da noite para o dia. A tecnologia também não.

De fato, os avanços tecnológicos cumpriram um papel fundamental nesses processos. E o que estamos vendo atualmente?

Sem dúvida, os últimos anos têm sido extremamente férteis em termos de inovações tecnológicas. Pode ser uma oportunidade única!

Cabe à empresa cercar-se de pessoas com visão, para aderir às tendências apontadas pela Quarta Revolução Industrial.

Cabe aos profissionais buscar a qualificação necessária para as exigências da Indústria 4.0.