O que é ERP?

Você está aqui:>>>O que é ERP?
  • O que é um ERP

O que é ERP?

Uma empresa consegue manter-se competitiva no mercado sem um bom ERP? O que é ERP?

Em tempos de competição globalizada, uma empresa não pode abrir mão das melhores ferramentas e práticas em seus processos internos, sob o risco de tornar-se ultrapassada, obsoleta.

O objetivo deste artigo é entender a importância do ERP para a empresa, revisitando os conceitos básicos que o definem. Acompanhe.

O que é ERP: definições e origem

ERP é uma abreviação para Enterprise Resource Planning, que em uma tradução literal significa Planejamento de Recursos da Empresa.

Esse nome está relacionado à origem do ERP, conforme veremos mais adiante. Na acepção atual, podemos entender o ERP como um Sistema Integrado de Gestão Empresarial.

Em linhas gerais, trata-se de um software que reúne, em uma única solução, os diferentes módulos de sistemas que dão sustentação aos processos operacionais e de gestão de cada departamento da empresa.

Não se trata de apenas “juntar partes isoladas”, mas sim de integrá-las, de forma que dados em comum sejam compartilhados, fluxos de informação sejam controlados e relações de dependência entre processos sejam estabelecidas.

A integração entre os módulos de sistemas nada mais é que o reflexo direto da realidade dos processos, em que pessoas e departamentos precisam trocar informações entre si para que a empresa execute seu ciclo produtivo completo.

A origem do ERP

No início dos anos 1970, surgiu o MRP (Material Requirement Planning ou Planejamento de Necessidades de Materiais).

O MRP promovia a integração entre os diversos processos relacionados ao suprimento de matérias-primas para a linha de produção de uma fábrica.

No MRP era mantida toda a relação de materiais necessários à produção e através dele eram geradas as requisições de materiais que chegavam ao departamento de Compras.

O departamento de Compras contactava os fornecedores, que então enviavam o material à fábrica e a fatura ao departamento Financeiro, alimentando o sistema de Contas a Pagar.

Já havia aí um conjunto de sistemas integrados trocando informações entre si. Nos anos seguintes, o MRP passou a englobar mais processos, sistemas e departamentos.

Na década de 1990, a sigla ERP passa a ser adotada em referência a esse tipo de sistema e o surgimento da arquitetura cliente/servidor deu um grande impulso para que as empresas procurassem implantá-lo.

A importância de um ERP para a empresa

Cada vez mais, o mercado exige que as empresas sejam competitivas, o que as leva a uma busca incessante por eficiência.

Por outro lado, a tecnologia da informação tem avançado muito, não se limitando a apenas automatizar processos operacionais repetitivos.

Assim, os investimentos em tecnologia surgem como solução natural para as empresas. Os sistemas ERP adquirem um papel fundamental nessa estratégia.

Ao integrar processos, o ERP contribui para acelerar a disponibilidade de informações a quem necessita delas.

Ao mesmo tempo, o controle sobre os processos e o compartilhamento dos dados entre diferentes pessoas e departamentos tornam toda a informação mais exata, íntegra e confiável.

Por fim, ao centralizar tantos dados, o ERP se mostra especialmente útil em oferecer informações relevantes para a tomada de decisões, não só na esfera operacional, mas principalmente em termos estratégicos.

É impossível imaginar uma grande empresa sem um sistema ERP para o controle de seus processos internos. Mesmo para empresas de menor porte, qual seria a alternativa a um sistema ERP?

O fato é que, onde há processos envolvidos, a melhor forma de integrá-los e torná-los mais eficientes é através de um sistema ERP.

Como seria o cenário sem um sistema ERP

Pensar em uma empresa sem um sistema ERP pode não ser um exercício de imaginação. Empresas que estão no mercado há mais tempo viveram o período em que não existiam sistemas ERP.

Claro, a realidade era diferente, as exigências eram outras.

Mas algumas dessas empresas atravessaram o período seguinte sem dar a devida importância à necessidade de integrar e melhorar processos.

Há também empresas que surgiram já na era do ERP, mas se mantiveram à margem dessa questão.

Normalmente, são empresas com baixo índice de automação de processos, que mantêm um ou outro software isolado, para finalidades específicas.

Porém, há também empresas com cenários mais complexos, em que diferentes softwares, de diferentes fornecedores coexistem, cada um em seu mundo particular e sem uma ponte que os interligue adequadamente.

Há até mesmo empresas em que alguns departamentos mantêm equipes próprias de TI, que desenvolvem ou adquirem soluções específicas para as necessidades locais, sem uma preocupação com o todo.

Não é tão raro encontrarmos empresas assim. Imagine uma com as seguintes características:

  • O RH tem um sistema de Folha de Pagamento, adquirido junto ao fornecedor A;
  • O Financeiro tem um pacote de Contas a Pagar e de Contas a Receber, mantidos pelo fornecedor B;
  • A Contabilidade é terceirizada e utiliza um pacote do fornecedor C;
  • O Comercial tem uma equipe interna de TI, que desenvolveu um Controle de Vendas;
  • Etc.

Imagine ainda que cada um desses sistemas trabalha em plataformas diferentes, com gerenciadores de bancos de dados diferentes e linguagens de programação diferentes.

Além das dificuldades para a manutenção de tais sistemas, como promover uma integração entre eles?

Como evitar a redundância e, pior ainda, a divergência de dados? Como extrair deles informação consolidada consistente para uma tomada de decisões estratégica?

Pensando um passo à frente, para uma empresa com essa estrutura interna, como seria possível expandir seus negócios?

O mercado de fornecedores de soluções ERP

Desde seu surgimento, o conceito de sistema ERP mostrou-se naturalmente o mais adequado para as empresas lidarem com a complexidade de seus processos internos.

Muitas empresas especializaram-se em desenvolver módulos de sistemas e soluções integradas dentro do conceito ERP.

Existem hoje no mercado as chamadas “verticais”, sistemas ERP completos para empresas de segmentos específicos, como determinados ramos da indústria, do comércio e de serviços.

Uma das empresas que mais se destacam como fornecedoras de sistemas ERP, sem dúvida é a SAP, pioneira e líder mundial no segmento.

Com soluções ao mesmo tempo universais e adaptáveis à realidade de cada empresa, o SAP ERP está presente em diversos países, incluindo o Brasil, atendendo a empresas de pequeno, médio e grande porte.

Conclusão

Uma vez revisto o que é ERP e qual a sua importância, cabe torná-lo cada vez mais apurado e útil às necessidades estratégicas da empresa.

Se sua empresa ainda vive a realidade da era pré-ERP, atualize-se, o mercado certamente tem soluções adequadas a oferecer.

O que é ERP?
5 (100%) 1 voto

Sobre ou Autor:

Bacharel em Ciências da Computação, seu perfil profissional está solidamente construído com experiência no sistema SAP ERP. São mais de 18 anos de utilização, com projetos de implantação, upgrade, melhorias, suporte e treinamentos.

2 Comments

  1. Andreia Oliveira 17/07/2017 em 12:31 - Responder

    Olá! Boa tarde!
    Me chamo Andreia. Sou recém formada em Ciências Contábeis e pretendo entrar pra o mercado como autônoma. Gostaria de saber se há algum programa que eu possa estar utilizando com baixo custo que possa me auxiliar agora no íníco para efetuar meu trabalho? Fui informada de que existem até mesmo programas gratuitos, mas não conseguir informações diretas e quanto à segurança e eficiência deles.
    Pode me ajudar?

Deixar Um Comentário

error: Desculpe, a cópia de conteúdo não é permitida.