Você tem um plano de carreira estabelecido?

Pois saiba que já no século 19 falava-se em plano de carreira, em referência à trajetória profissional de uma pessoa.

Porém, ao contrário do que ocorre hoje, o mais comum era que uma pessoa iniciasse sua carreira profissional em determinada empresa e por lá permanecesse até encerrá-la.

Assim, o plano de carreira era composto pelas oportunidades de ascensão concedidas aos funcionários mais leais e dedicados à empresa.

Essa realidade mudou bastante com o passar do tempo e apesar de muitas empresas continuarem a oferecer planos de carreira, é cada vez mais o profissional quem constrói o seu próprio plano, como veremos neste artigo.

O que é plano de carreira

De forma resumida, podemos entender o plano de carreira como um guia para o sucesso profissional.

Hoje em dia, os profissionais tomaram para si a tarefa de estabelecer seu próprio plano de carreira e, dentro do mercado de trabalho, procurar por empresas que ofereçam oportunidades compatíveis com seus objetivos.

O plano de carreira nada mais é que uma projeção dos objetivos que você pretende alcançar profissionalmente nos intervalos de curto, médio e longo prazo.

Portanto, ao elaborar seu plano de carreira, você deve buscar respostas para questões como:

  • Onde estou agora?
  • Onde eu pretendo estar daqui a um ano?
  • Em que empresa?
  • Ocupando qual cargo?
  • Que medidas eu devo tomar para alcançar esse objetivo?
  • E para daqui a 3, 5, 10 e 20 anos?

Tendo esses pontos como referência, você será sempre capaz de avaliar a evolução de sua trajetória profissional, corrigindo eventuais desvios.

Planejamento de carreira e sucesso profissional

Para alcançar o sucesso profissional, o ideal é que você estabeleça um plano de carreira desde a sua entrada no mercado de trabalho, mas nada impede que você o adote a partir de diferentes momentos em sua trajetória.

Conforme veremos a seguir, diferentes momentos da carreira podem exigir avaliações específicas para que se estabeleça um plano de ação.

O início de carreira

Para quem está chegando ao mercado de trabalho, sem uma experiência anterior acumulada, é importante realizar seu planejamento de carreira a partir de premissas como:

  • A clara identificação de seus interesses, seus talentos e seus valores;
  • O reconhecimento de suas qualificações técnicas;
  • O estudo do mercado de trabalho, relacionando as áreas, os cargos e as funções que melhor se adequam ao seu perfil e às suas aspirações.

Por exemplo, se você investiu em um Curso SAP para complementar a sua formação profissional, diferentes perspectivas podem se abrir para a construção de uma carreira.

Partindo da especialização escolhida para o início de carreira, seja como desenvolvedor ABAP, como consultor BASIS, ou consultor funcional SAP, é preciso olhar para o mercado de trabalho e entender para onde essas especializações apontam com o decorrer do tempo e o acúmulo de experiência.

Por serem especializações de perfil mais técnico, é possível que em determinado momento o profissional que segue uma dessas carreiras se veja diante de um dilema, entre manter-se como um profissional eminentemente técnico ou tornar-se um gestor.

Sobre essa questão, veja mais adiante, nesse mesmo artigo, a explanação sobre carreira em Y e carreira em W.

O desenvolvimento da carreira

Se você já está no mercado, mas até aqui não tinha feito um planejamento de carreira, é um bom momento para avaliar os progressos que já fez e definir uma estratégia a partir desse ponto.

São orientações válidas para esse cenário:

  • Identificar o momento da carreira profissional em que você se encontra;
  • Identificar os fatores de sucesso que o conduziram até aqui;
  • Identificar os próximos desafios a serem superados.

Quando se pensa no desenvolvimento da carreira, é preciso formar uma ideia bastante precisa sobre até onde se quer chegar, não importando se você está no início ou no meio dessa trajetória.

No caso de consultores SAP, por exemplo, a própria natureza de suas atividades conduz a ótimas oportunidades de crescimento profissional.

De fato, dois fatores fazem dos consultores SAP potenciais candidatos a cargos estratégicos em uma empresa:

  • A possibilidade de lidar com uma visão abrangente de todos os processos da organização;
  • O contato direto com informações essenciais e muitas vezes privilegiadas sobre os negócios.

Tornar-se CEO faz parte do seu plano de carreira? Por que não?

A mudança de carreira

Também pode ocorrer de, em determinado momento, você chegar à conclusão de que fez escolhas erradas no passado.

Ou então, você pode constatar que os cenários mudaram de tal maneira que seus planos originais já não cabem neles.

Para esse momento, é preciso avaliar:

  • Quais são seus novos objetivos;
  • Quais são as consequências da ruptura, principalmente em termos de padrão de vida, seu e de seus familiares;
  • Quais são os esforços necessários para estabilizar-se na sua nova carreira profissional.

Mudanças de carreira são decisões estritamente individuais, motivadas por experiências e percepções únicas.

Embora muitas mudanças envolvam migrações entre áreas completamente distintas, também são comuns as transferências entre áreas afins.

Voltando ao exemplo dos profissionais SAP, uma das possíveis funções que eles podem exercer é a de Key User.

E nessa especialização em particular, é comum encontrarmos:

  • Profissionais que vinham de uma carreira administrativa e incorporaram conhecimentos de tecnologia à sua formação, ou
  • Profissionais que vinham de uma carreira em tecnologia e incorporaram conhecimentos de processos administrativos à sua formação.

Em ambos os casos, novas perspectivas se abriram para a continuidade de suas carreiras.

A recolocação profissional

Outra situação que exige um novo planejamento de carreira e ocorre com relativa frequência é a do profissional que fica temporariamente fora do mercado e tenta uma recolocação.

Nesses casos, dependendo da duração do tempo em que o profissional permaneceu afastado, é preciso avaliar se isso promoveu uma defasagem em sua qualificação.

Assim, esse profissional deve se preocupar com questões como:

  • Recuperar sua autoestima;
  • Identificar eventuais defasagens em termos de qualificações profissionais;
  • Redefinir seus objetivos.

Um plano para a ação

Conforme vimos, diferentes motivações podem levar à elaboração de um plano de ação para a carreira profissional.

Todavia, qualquer que seja a motivação, um bom plano de carreira deve obrigatoriamente contemplar ações que levem ao sucesso profissional, englobando itens como:

  • Ascensão de cargos;
  • Aumento da renda e elevação do padrão de vida;
  • Aumento de responsabilidades;
  • Aquisição de novas competências;
  • Novas experiências, eventualmente no exterior.

Assim, o plano de ação deve ser composto por metas, com prazos estabelecidos para o seu cumprimento.

Uma maneira eficiente de definir prazos é estabelecer primeiro em que momento as metas de longo prazo devem ser alcançadas.

A partir daí, as metas de médio e curto prazo devem ser encaixadas, de forma que isso imprima um ritmo mais intenso para a sua conquista.

Feito do modo inverso, o planejamento tende a aceitar uma acomodação para as metas de curto prazo, com consequentes adiamentos para as metas de médio e longo prazo.

Uma vez estabelecido o plano, o importante é que você sempre o revisite, acompanhando o andamento de sua carreira profissional sem nunca perder de vista as metas estabelecidas.

No seu dia a dia, procure fazer uso de todos os recursos (lícitos e éticos, é claro) ao seu alcance para atingir suas metas. Você precisará:

  • Saber trabalhar em equipe;
  • Conhecer suas responsabilidades;
  • Conhecer bem a sua atividade e o contexto no qual ela está inserida;
  • Ser proativo.

O plano de carreira e as novas oportunidades

Se você já tem um plano de carreira definido, é importante que a busca por uma nova oportunidade de trabalho seja feita de acordo com o plano estabelecido.

Isto significa candidatar-se apenas a vagas que estejam de acordo com o perfil profissional que você deseja para o momento, ou que apontem para perspectivas condizentes com suas metas.

Assim, já na opção por candidatar-se ou não a determinada vaga, você deve estabelecer claramente o que espera encontrar na empresa.

Caso venha a ser entrevistado, você deve expor essas expectativas e mais uma vez avaliar se a empresa de fato se encaixa em seus planos.

O plano de carreira oferecido pelas empresas

Até aqui abordamos o plano de carreira pela visão do profissional, já que esta é a tendência predominante atualmente.

Mas, no passado, era comum que as grandes empresas estabelecessem planos de carreira internos e os profissionais procurassem aderir a eles.

De certa forma, as empresas continuam a oferecer planos de carreira internos, mas agora dentro de uma perspectiva mais dinâmica, de intensa rotatividade de profissionais no mercado.

Aliás, os planos de carreira oferecidos pelas empresas têm justamente o objetivo de atrair e reter talentos, procurando atender à sede de crescimento profissional de seus colaboradores.

A carreira em Y

Uma das formas encontradas pelas empresas para atrair e manter bons profissionais foi a de oferecer, em determinadas áreas, a carreira em Y.

Essa é uma forma de permitir que um profissional em ascensão possa optar entre prosseguir como um especialista essencialmente técnico ou passar a ser um gestor.

Vale lembrar que nas estruturas mais tradicionais, ascender profissionalmente significa, em dado momento, tornar-se gestor.

Mas nem sempre um bom técnico torna-se um bom gestor. Mais que isso, nem sempre um bom técnico quer tornar-se gestor.

A carreira em Y surgiu para oferecer essa oportunidade, permitindo que um especialista continue a se desenvolver como tal.

A carreira em W

Em áreas ainda mais específicas, como a de tecnologia, surgiu a carreira em W, uma variante da carreira em Y.

No modelo W, além das opções de prosseguir como um especialista ou tornar-se um gestor, o profissional tem ainda uma terceira possibilidade: a de ser gestor de projetos.

Essa terceira opção, de certa forma, promove uma fusão entre o perfil do especialista e o perfil do gestor.

Com efeito, um gerente de projetos SAP precisa ter ou desenvolver, essencialmente, essas duas características.

Carreiras promissoras no novo mercado de trabalho

Nos últimos anos, o mercado de trabalho vem passando por grandes mudanças, impulsionadas principalmente pelos avanços tecnológicos.

Não por acaso, a grande onda de inovação produzida principalmente nessas duas primeiras décadas do século 21 tem sido chamada de Quarta Revolução Industrial, ou Indústria 4.0.

Algumas das profissões mais procuradas atualmente nem existiam há alguns anos.

Por outro lado, outras profissões, tidas como atuais, podem vir a desaparecer em um futuro próximo, assim como novas profissões, que sequer imaginamos, certamente surgirão no mesmo período.

Assim, um profissional deve antes de tudo estabelecer um plano de carreira que leve em consideração as transformações pelas quais o mercado de trabalho passa.

Além disso, o bom profissional deve não só aceitar as mudanças como preparar-se para elas.

Não se trata de adivinhar quais profissões sobreviverão e quais serão extintas, mas sim de adotar posturas profissionais mais adequadas.

Em um cenário de tantas inovações e rupturas, carreiras promissoras dependerão cada vez mais da capacidade de adaptação às novas realidades.

Nesse sentido, carreiras construídas em torno de ferramentas como o Sistema SAP ERP mostram-se de grande valor.

Sem dúvida, a SAP é uma fornecedora de soluções empresariais que não só está consolidada no presente, como investe continuamente em inovação, absorvendo e ditando tendências.

Algumas recomendações

  • Aceite a chegada das mudanças, não tente negá-las ou lutar contra elas;
  • Crie o seu perfil no LinkedIn, a principal referência na internet como rede social voltada para relacionamentos profissionais;
  • Aceitar o novo não significa necessariamente que você tenha que descartar tudo o que aprendeu até aqui;
  • Com a crescente automatização de processos, em que cada vez mais os robôs se ocupam de tarefas anteriormente exercidas por pessoas, deve-se notar que os profissionais humanos começam a ser valorizados por características que não podem ser encontradas nos robôs, como:
    • Flexibilidade (ou adaptabilidade, ou ainda, resiliência);
    • Empatia;
    • Capacidade de aprendizado ilimitada;
    • Criatividade.

Conclusão

Mas, diante de um cenário tão instável como o atual, o plano de carreira ainda faz sentido para um profissional?

A resposta certamente será: sim, mais do que nunca faz sentido traçar um plano de carreira. Seu plano de carreira é a sua referência, para você não se perder nem ficar estagnado em meio às mudanças.

Assim, se você ainda não tem, procure elaborar o seu plano de carreira, partindo do ponto em que se encontra atualmente. Será, além de tudo, um ótimo exercício de autoconhecimento.

Plano de carreira: para que serve e como estruturar
4.7 (93.33%) 3 votos