A expressão transformação digital descreve de forma precisa um fenômeno iniciado nos últimos anos, que tem uma relação direta com os mais recentes avanços tecnológicos, mas que não fica restrito a eles, produzindo grandes impactos sobre o dia a dia das pessoas, das empresas e da sociedade como um todo.

Mas o que é exatamente a transformação digital? Que efeitos ela produz? Como nos integramos a ela?

Ou ainda, o que eu e a minha empresa temos a ganhar com isso? Podemos ficar à margem desse processo?

Essas e outras questões estão no foco do artigo a seguir.

O que é a transformação digital?

Embora esteja profundamente ligada à inovação tecnológica, a ideia de transformação digital diz respeito a um contexto mais abrangente.

Trata-se de uma mudança estrutural que resulta em uma ruptura com a realidade atual das empresas e da sociedade.

Em outras palavras, muitas das estruturas, das regras e dos comportamentos da realidade atual estão rapidamente se tornando obsoletos.

Nas empresas, por exemplo, a transformação digital nasce da busca pelo aumento da competitividade e a tecnologia surge, naturalmente, como um caminho óbvio para que esse objetivo seja alcançado.

Entretanto, não se trata de apenas investir em um equipamento aqui ou um software ali.

A transformação digital ganha corpo quando a tecnologia passa a ser entendida como fator estratégico para os objetivos da empresa.

Portanto, antes da tecnologia, ou acima dela, a transformação digital envolve visão estratégica e gestão.

Qual é a importância da transformação digital?

Em primeiro lugar, aderir à transformação digital é uma questão de sobrevivência.

Empresas e profissionais que não entenderem a mudança estarão se colocando cada vez mais à margem do mercado.

Além disso, com a aceleração dos ciclos de inovação, há cada vez mais urgência na necessidade de impulsionar a transformação.

Para uma empresa que não tem em seu ambiente a cultura da mudança, a adesão à transformação digital  tende a ser mais traumática, mas não pode haver momento mais oportuno para iniciá-la a não ser agora.

Quais mudanças a transformação digital traz?

As mudanças estão presentes em diferentes aspectos do dia a dia das pessoas e das empresas.

No caso das pessoas, são comportamentos, rotinas e mesmo percepções completamente diferentes daquelas que existiam há uma ou duas décadas.

Nas empresas, torna-se ainda mais evidente a valorização do trabalho intelectual e das relações interpessoais, em detrimento das habilidades físicas.

Nas relações de consumo, o cliente passa a ter acesso a muitas informações, colocando-o em posição privilegiada e acirrando a concorrência entre os fornecedores de produtos e serviços.

Em resposta, as empresas passam a adotar estratégias focadas na solução dos problemas de seus clientes, proporcionando-lhes experiências cada vez mais personalizadas, sob medida.

Em outras palavras, os clientes deixam de integrar uma massa impessoal e passiva. Eles agora têm nome e opinião.

Impactos para a carreira profissional

Com tantas mudanças, como fica a carreira de um profissional direta ou indiretamente impactado por elas?

Para um profissional, assim como ocorre com uma empresa, é importante manter-se em sintonia com as tendências de mercado.

Dessa forma, levando em conta todas as transformações pelas quais o mercado e as empresas estão passando, um bom perfil profissional no LinkedIn, por exemplo, deve contemplar uma capacitação condizente com a realidade tecnológica do momento.

Não, um profissional não precisa ser especialista em todas as tecnologias emergentes, mas convém que ele saiba quais delas têm relação direta ou indireta com sua atividade e, eventualmente, se especialize em algumas.

Como introduzir a transformação digital nas empresas?

Dado o alcance que a transformação digital deve ter, introduzi-la na empresa requer um conjunto de medidas definido a partir de um planejamento estratégico muito bem estruturado.

Entre as medidas necessárias, destacamos algumas a seguir.

Redefinição da estratégia

A nova estratégia deve privilegiar a presença da empresa no mercado digital, sobretudo se ela ainda está ausente desse ambiente.

Outro ponto importante é procurar identificar quais tecnologias poderão alavancar os negócios e adotá-las.

Adoção de uma nova cultura interna

Para uma nova estratégia, que rompe com padrões anteriormente estabelecidos, é preciso que todos, dos colaboradores aos acionistas, assimilem uma nova cultura, um novo modo de ver e fazer as coisas.

Entretanto, o apego à cultura já estabelecida é natural e até esperado diante da tentativa de se introduzir uma inovação.

Uma boa estratégia para combatê-la é através da criação de uma cultura do aprendizado, que vai preparando as pessoas para a aceitação e até para a busca voluntária do novo.

Assim, mais que apenas incorporar ferramentas e práticas já consagradas no mercado, a empresa também deve estimular as equipes a criarem suas próprias inovações.

Investimento em capacitação

Adotar uma inovação exige novos conhecimentos e habilidades, que devem ser supridos de duas formas.

Primeiro, a empresa deve buscar especialistas no mercado, principalmente nas fases iniciais de implantação de uma inovação.

Além disso, é preciso que a capacitação da equipe interna faça parte do planejamento da nova estratégia, de modo que esse fator não venha a ser um limitador para a própria continuidade dos negócios.

Otimização de processos

Assim como as técnicas e as ferramentas, processos também podem se tornar obsoletos.

Para quem pretende partir para uma nova estratégia, é o momento de rever todos os processos internos e adequá-los ao novo cenário. Automatizações são bem vindas.

Virtualização de serviços

Como um desdobramento da otimização de processos, considere adotar a virtualização de serviços.

Um exemplo já bastante disseminado é o da contratação de data centers virtuais, baseados em cloud computing, capazes de oferecer a preços acessíveis uma infraestrutura que normalmente seria muito custosa para a empresa.

Investimento em inteligência do negócio

Considere que a tecnologia atualmente não se limita a automatizar tarefas repetitivas.

Muitas ferramentas hoje lidam com processos extremamente complexos, oferecendo importantes contribuições para a análise e a tomada de decisões.

Nova relação com os clientes

A inserção no mundo digital traz para as empresas uma forma dinâmica e interativa de relacionar-se com seus clientes.

Assim, é preciso estruturar canais de comunicação adequados e filtrar a informação proveniente dessa interação, incorporando ao processo produtivo aquilo que for pertinente e relevante.

Em quais tecnologias investir?

De fato, há uma relação direta entre investimento em tecnologia e transformação digital.

Entretanto, é preciso deixar claro que essa relação não torna a transformação digital uma preocupação exclusiva das empresas de TI ou dos departamentos de TI das empresas.

Essencialmente, estamos falando de tecnologia aplicada aos negócios. Portanto, isso diz respeito aos negócios como um todo.

Em uma definição mais geral, podemos dizer que todas as tecnologias identificadas sob o guarda-chuva da Indústria 4.0 são naturalmente candidatas à adoção para dar sustentação à transformação digital de uma empresa.

Entretanto, é preciso avaliar quais tecnologias são as que de fato se mostram adequadas para alavancar os negócios da empresa.

Indicamos a seguir algumas das tecnologias mais procuradas pelas empresas que estão realmente focadas em sua transformação digital.

Inteligência artificial / machine learning

Máquinas que aprendem com o acúmulo de suas próprias experiências estão ganhando cada vez mais autonomia e assumindo tarefas complexas, que exigem análises e tomadas de decisão.

Assim, sem que muitos percebam, a inteligência artificial e o machine learning estão cada vez mais presente no dia a dia.

Internet das Coisas

Também cresce rapidamente o uso da internet das coisas. Essa tecnologia conecta à internet aparelhos domésticos, equipamentos industriais, estruturas e objetos, possibilitando que eles interajam entre si e com humanos.

Blockchain

Mais do que “a tecnologia por trás do bitcoin”, blockchain é um conceito inovador em processamento, armazenamento e troca segura de informações, que tende a ganhar cada vez mais aplicações.

Realidade virtual / realidade aumentada

Duas tecnologias que tendem a encontrar inúmeras aplicações, ora transportando a realidade para cenários virtuais, ora sobrepondo objetos do mundo virtual em um cenário real.

Entre as principais aplicações da realidade virtual e da realidade aumentada estão os jogos, os simuladores, o ensino a distância e apresentações em geral.

Big data

O volume de dados coletados e armazenados cresce em ritmo acelerado no mundo todo.

Mas é preciso ter ferramentas adequadas para analisar os dados disponíveis e transformá-los em informação consistente para uso estratégico. Esse é o papel do Big Data.

A análise de dados do Big Data permite, por exemplo, que as empresas façam um mapeamento do comportamento do consumidor.

Assim, é possível identificar tendências ou correlações entre fatos, que poderão ser exploradas em novas estratégias de abordagem do mercado.

Business Intelligence

Business Intelligence (BI) também diz respeito à análise de dados, mas com foco mais localizado na eficiência dos negócios.

O resultado da análise em BI também pode levar à identificação de novas oportunidades no mercado.

Para a estratégia de uma empresa, Business Intelligence e Big Data não são tecnologias concorrentes entre si. Ao contrário, são complementares.

Computação em nuvem

A computação na nuvem coloca as empresas diante de um fácil e praticamente ilimitado acesso a qualquer serviço de TI. É um recurso indispensável para quem quer crescer.

A SAP e a transformação digital

Como fornecedora de soluções tecnológicas, a SAP tem muitas contribuições a oferecer para a transformação digital de seus clientes.

Ao longo dos anos, a SAP acumulou um inestimável conhecimento sobre processos em empresas dos mais variados segmentos.

Assim, partindo de seu sistema SAP ERP como um núcleo, a empresa desenvolveu soluções que facilmente se integram com as principais tecnologias voltadas para a transformação digital.

O próprio sistema SAP ERP evoluiu para a versão SAP S/4 HANA Cloud, já incorporando tecnologias inovadoras, como a computação na nuvem.

Além disso, a SAP lançou o SAP Leonardo, uma plataforma voltada justamente para integrar novas tecnologias.

Conclusão

Em resumo, a transformação digital é um caminho inevitável para as empresas que pretendem manter a competitividade no mercado.

Assim, mantenha-se cada vez mais atento ao mercado, às inovações  e aos novos paradigmas que chegam através dele.

Entenda a transformação digital como algo contínuo, que não tem uma data ou um evento específico como um fim.

A transformação digital é a próxima revolução?
5 (100%) 3 votos